banner 40 anos 20-11 970x250

ATENÇÃO – Momo aparece em vídeos infantis e ensina crianças a se suicidarem

18 de março de 2019 Fonte::
 

O criminoso responsável por essas ações se esconde em uma escultura de um artista plástico japonês, a figura da Momo causa medo, com os olhos esbugalhados, pele pálida e sorriso sinistro

A reportagem da revista Crescer relata o caso de um vídeo popular na internet de uma criança brincando de slime que é interrompido, após poucos segundos do início da sua exibição, com imagens da Momo ensinando o passo a passo de como cortar os pulsos, literalmente.

Os pais entrevistados na matéria afirmam ter recebido o vídeo por meio de um grupo do WhastApp, quando o casal sentou para conversar com a filha, veio a surpresa: Bianca já havia assistido o vídeo cerca de três vezes e estava muito assustada e amedrontada com o que vira. “Assim que começamos a conversa, ela teve uma crise de choro e não conseguia nem falar. Fomos acalmando-a e então ela contou que já tinha acontecido de ver a Momo. Disse também que estava com muito medo de dormir sozinha, de sonhar com a personagem ou de vê-la saindo de dentro do armário. Foram minutos bem complicados para nós”, conta a mãe.

A maior surpresa  foi que ela  havia colocado filtros nos vídeos, deixando-os no modo restrito, e as crianças só tinham acesso aos conteúdos do YouTube Kids. “Achamos que assim eles estariam mais seguros. Mas agora vamos redobrar ainda mais os cuidados e supervisionar ainda mais de perto o que assistem.”

Em resposta ao ocorrido, o departamento de comunicação do YouTube Kids escreveu em nota: “Ao contrário dos relatos apresentados, não recebemos nenhuma evidência recente de vídeos mostrando ou promovendo o desafio Momo no YouTube Kids. Conteúdo desse tipo violaria nossas políticas e seria removido imediatamente. Também oferecemos a todos os usuários formas de denunciar conteúdo, tanto no YouTube Kids como no YouTube. O uso da plataforma por menores de 13 anos deve sempre ser feito pelo YouTube Kids”.

De acordo com a educadora, além de restringir o acesso a internet, os pais devem acompanhar de perto o que os filhos estão assistindo. “Saiba o que seu filho vê e converse com ele sobre aquilo antes de proibi-lo. Diga o que gosta, não gosta e por quê. O diálogo aberto ainda é o melhor caminho”, diz Regina. Para ela, mesmo se em algum dia for implementada a classificação indicativa para vídeos online, as pais continuarão sendo a última barreira e a mais segura para definir se um conteúdo é adequado ou não para o filho.

Por: Jarunoticia

Com informações do R7

cuidado com oque seus filhos estão assistindo na internet
Comentarios
banner gov 10-10
banner ale 18-11 970x250